Vejam um ciclista, ele gosta de ajudar as pessoas e de preservar a natureza

Olá Visitante
 


  Untitled Document

BURITIS

4 2 6
5 3 1

Informações Gerais da Trilha

 

Níve de Dificuldade: MÉDIA

Distância:21,2 KM

Ponto de Encontro:
Estacionamento do Shopping PIER 21, Via L4 Sul, Setor de Clubes Esportivo Sul, Trecho 2 - Asa Sul

(Ponto de encontro é o local que escolhemos para nos reunir para seguir em comboio de carros para o ponto de início da trilha)

Hora do Ponto de Encontro: 7:45 horas

Tolerância: 15 minutos

Ponto Zero:: Restaurante Solar da Águia

Duração média da trilha: 2 a 4 horas

Itens Obrigatórios: Capacete e Luvas

Preparação da Bike: Calibragem dos pneus, regulagem das marchas, lubrificação da corrente, verificação dos freios.

Planilha de Navegação Rebas: Imprimir e levar a Planilha de Navegação Rebas. Aos novatos, ao chegarem à trilha, solicitem aos coordenadores do Grupo orientação de como utilizá-la.

Entenda o que é uma Planilha de Navegação Rebas clicando aqui

Itens Recomendados: Câmara de ar reserva, bomba de ar, jogo de ferramentas para bike, rádio comunicador, celular, água potável, algum alimento para consumo durante o pedal, protetor solar,carteira de identidade, documento do plano de saúde e algum dinheiro para despesas esporádicas.

Estrela Reba: Essa trilha não é geradora de Estrela Reba.

Outras Informações:

A trilha será realizada a partir do restaurante Solar da Águia, propriedade voltada ao turismo Rural e é cobrada taxa de R$5,00 para ingresso em suas dependências para utilizar a infraestrutura do local, que possui estacionamento, piscina, cachoeira, trilha para caminhada. Quem desejar, terá almoço à R$30,00 por pessoa, excluindo bebidas.   O local é bem bacana pessoal, segue o link:  www.solardaaguia.com.br. Pagamento somente em dinheiro.

O Buriti, uma espécie de palmeira, é usado para tudo que se possa imaginar. Com sua palha são feitas coberturas de casas. Sua seiva é utilizada como matéria-prima de um delicioso vinho. A madeira pode ser usada em construções rurais, enquanto o tronco inteiro é empregado na construção de calhas. Seu fruto serve para a fabricação de doces. Nele existe uma polpa da qual é extraído um óleo comestível, rico em vitamina A.

Na língua indígena Buriti significa “árvore da vida”. Os índios consideravam essa árvore capaz de fornecer tudo aquilo que era necessário para se viver, da madeira para a construção de uma casa e de móveis e objetos à alimentação.

O Buriti é encontrado isoladamente ou em grupos e exige grande quantidade de água. Daí vem a dica: se há Buritis por perto, com certeza há muita água e alimento, já que o Buriti dá muitos frutos, chegando a produzir cerca de 3 toneladas de cocos que servem de alimento para diversos animais.

Fontes e outras informações sobre Buriti:
campodasideias.blogspot.com.
www.biologo.com.br/plantas/cerrado/buriti.html.
www.ispn.org.br/o-buriti-a-palmeira-de-mil-e-uma-utilidades.

A região da trilha Buritis, ao Sul do Distrito Federal e nas proximidades da área Alfa da Marinha Brasileira, apresenta vegetação nativa do Cerrado, em meio a trechos de plantações e pastagens. Como em muitas outras trilhas do DF, a presença da palmeira Buriti é percebida com freqüência e por isso dá nome à trilha.

Tem 21,2 km de extensão, com a maior parte do percurso por estradas de terra. Até o km 13 predominam as descidas que, apesar de não apresentarem grande inclinação, exigem atenção do mountain biker no controle de velocidade. A partir do km 13,5 uma subida mais acentuada, com cerca de 3 km e terreno com rochas e cascalho, exige maior técnica e esforço.

Como citado, onde tem buriti tem água. No km 13 há um rio de água limpa e transparente que proporciona bom ponto para descanso e banho. Um pouco mais adiante há outro rio com uma pequena cachoeira. É atração opcional e para chegar até ela deve-se seguir em frente no km 13,60, ponto 18 da PNR, por cerca de 400 metros, retornando em seguida. No km 16,9 há uma engarrafadora de água mineral, com bica de água na área externa.

Muitas áreas do percurso possuem vegetação preservada e os ciclistas devem adotar postura para manter toda a trilha assim: guardar todo o lixo produzido e descartá-lo em locais adequados; evitar passar fora dos single tracks ou sobre plantas.


Recomendações

Andar em grupo, mantendo distância do ciclista à frente nos single tracks. Usar a Planilha de Navegação Rebas – PNR – ou GPS e rádio.

Atenção aos seguintes pontos da PNR:

14 e 15 – travessia de rio raso, com pedras e barranco íngreme.

Exploratórios:

1º exploratório: 02/01/2010
Participantes: Fábio (Bauru)

2º exploratório: 13/02/2010
Participantes: Arquimedes, Bittencourt, Edu, Fábio (Bauru), Nani e Roberto Lucas

3º exploratório:
Participantes: Anderson Valaman, Arquimedes, Dalton, Edu Bürgel, Léo, Rívia e Rodrigo Machado


TOPO

Marca registrada Rebas do Cerrado - Nota de rodapé do site
Webdesigner: Débora Alves

A primeira versão deste site foi construída por Eliézer Roberto Pereira , Bob King, um dos fundadores do Rebas do Cerrado que infelizmente nos deixou em dezembro de 2004.

Posteriormente o nosso amigo Marcelino Brandão Filho, também fundador e coordenador do grupo por 6 anos, desenvolveu com dedicação ímpar uma nova versão. Marcelino faleceu em julho de 2013 e além do site deixou entre outros legados importantes a padronização dos procedimentos de operacionalização e condução dos eventos Rebas.

Mantemos a página principal o mais próximo possível do desenho original em homenagem aos dois fundadores.

As marcas Rebas® e Rebas do Cerrado®, bem como o logotipo® do grupo Rebas do Cerrado são Marcas Registradas® pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial(INPI), com todos os Direitos Reservados.